sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Museu: A Taça Deste Portugal

Vamos lá falar da Taça de Portugal. O Benfica é o clube com mais historial nesta competição. A história fala por si e não deixa margem de manobra. Esta é também a dita Competição Rainha do futebol Português que se disputa no final de cada época desportiva no magnífico Estádio do Jamor.
A memória de tempos gloriosos, ainda suporta este colosso desportivo que é o Benfica. Daí que está na altura do Benfica actual começar a aliviar a densa carga que as gerações antigas de futebolistas, treinadores e dirigentes ainda carregam nas suas almas.

O Benfica já conquistou por vinte  e cinco vezes... Se juntar-mos às trêz vezes que venceu a prova sob a designação de Campeonato de Portugal (podem aqui observar a lista completa de todas as finais já realizadas)...

Para que fique registado, seguem as últimas vitórias na dita taça. A qualidade do vídeo é aquela que foi possível face à escassez de meios e de produto.
1956 1957: Sob a batuta de Otto Gloria, o Benfica conquistava mais uma Taça de Portugal... A nona, com uma vitória de 3-1 frente ao sporting da Covilhã. Os golos do Benfica foram apontados por Martins (12m), José Águas (15m) e Mário Coluna (87m).

Fica a crónica sobre o jogo:
A equipa vencedora.
______________________________________________________________________________
1958-1959: A Vitória relâmpago do Benfica... Quinze segundos de jogo e Cavém já tinha aberto o marcador!

A crónica do Diário de Lisboa:
A equipa vencedora:
______________________________________________________________________________
1961-1962: Eusébio, na sua segunda época, ajuda a equipa a vencer a taça com dois golos. Cavém foi o autor do terceiro com que o setúbal foi derrotado.

Fica a crónica:

A equipa vencedora:
_____________________________________________________________________________

1963-1964: Mais uma vitória gorda sobre o porto. E que vitória terá sido segundo a crónica de então.
Fica a fotografia do capitão a erguer mais um título:
E da equipa que de forma brilhante conquistou mais uma Taça.
_____________________________________________________________________________
1968-1969: Coimbra estava em polvorosa com os estudantes revoltados com o regime vigente... Foi uma partida com muito significado com o Benfica a aliar-se aos estudantes no final. Troca de equipamentos, fotografia em conjunto, todos abraçados e tudo sorrisos.

E ainda há os que acreditam na treta de clube do sistema... Burros!

Fica a crónica da partida:
A equipa:
_____________________________________________________________________________
1969-1970: Já com uma renovação quase feita após uma década gloriosa, o Benfica defrontou e ganhou ao Sporting por 3-1. Artur Jorge, José Torres e António Simões, foram os autores dos três golos do Benfica... Jaime Graça era o patrão!

Fica a crónica da partida:
A Equipa vencedora:
______________________________________________________________________________
1971-1972: Mais uma dobradinha e mais uma vitória sobre os nossos rivais. Três golos de Eusébio, o terceiro aos 118 minutos...

Fica a crónica:
______________________________________________________________________________
1979-1980: Claro que não tenho recordações fiáveis deste jogo. O brasileiro César aplicou um golpe de misericórdia ao porto e começaram as estranhas movimentações lá nesse outro clube...

Esta é uma partida histórica... Velhos tempos quando os adeptos do sporting fora ao Jamor apoiar o Benfica... Unidos contra o clube do regime mentiroso.
A crónica da partida:
A equipa vencedora:
______________________________________________________________________________

1980-1981: Também não tenho grande recordações desta final. Só vos posso oferecer os factos: Jogo com quatro golos e todos marcados por jogadores do Benfica. A malta esteve a perder mas a equipa deu a volta e Nené foi o jogador da partida com três golos da mais fina execução.

Infelizmente, ou não, o vídeo veio lá de cima. Mas vale a pena quando a alma não é pequena e a mística é inimaginável.

A crónica da partida.
_____________________________________________________________________________
1982-1983: Desta já me lembro qualquer coisa. Eriksson era destemido e provou isso ao longo da sua carreira no Benfica: Sem medo. Início de nova época e jogo no covil do inimigo... Não houve medo nem pernas a tremer.

Carlos Manuel aplicou uma das suas bombas fenomenais e Nené teve a classe de erguer a taça com um dos primeiros gomes a desfilar nesse outro clube.

Vitória que ainda acentuou mais a inveja e o ódio do dirigente desse outro clube, para com o Benfica. Imaginem o bicho a olhar-se ao espelho, após a entrega da taça, e ver a sua cara inundada de vermelho, de encarnado...

A Crónica:

_____________________________________________________________________________
1984-1985: De regresso ao jamor, já com um figurante a servir de treinador. Os jogadores aplicaram mais um correctivo nesse outro clube. Lembro-me perfeitamente deste jogo, em casa dos meus avós... atónito... a correr para junto do meu pai para lhe dizer: "Pai, já marcámos três. Acreditas?"
O clube da cidade do Porto estava em crescimento e era o campeão, mas o Benfica fez da união a sua força...
Diz-se que quem deu a tática para este jogo foram os jogadores mais veteranos e não o treinador Pal Csernai. Como isso já é um mito, convém deixar que os jogadores reponham a verdade:
O resto da entrevista está aqui.
Raúl Nazaré, Manuel G. Bento e Frasco.
Tínhamos o primeiro alto, tosco e louro: Maniche (4 épocas; J: 89; G: 47). Aviou 2 golos à malta desse outro clube. Nunes fez o primeiro e tratou-se de mais uma vitória com glória num período em que o "por baixo dos lençóis" já era uma táctica a ser amplamente experimentada.
____________________________________________________________________________
1985-1986: Frente aos quase vizinhos de belém, Nunes acabou por inaugurar o marcador. Mas o que mais me impressionou foi aquela cavalgada do tal alto, louro e tosco pelo flanco esquerdo. O homem faz depois um cruzamento para o filho de uma grande glória fechar a contagem. Não houve campeonato mas houve taça. Mortimore tinha regressado para ganhar mais uns títulos.
Veloso, José Luís, Diamantino, Bento, Shéu, Mortimore, Toni, Manniche, Rui Águas, Oliveira e Nunes... Entre outros.
Bento a dizer as verdades...
Elementar caro wats... Depireux
Infelizmente aqueles azuis haveriam de ter a sua vingança uns anos mais tarde.

PS: No quartos de final, aconteceu isto no estádio da Luz:
 
____________________________________________________________________________
1986-1987: Época muito conturbada, pois o Benfica tinha sofrido a pior derrota de todas frente ao seu velho rival. Esse fantasma durou quase dez anos. Mortimore ferido de morte continuou (o Benfica estava sem pilim para contratar outro treinador). Ele continuou à frente do plantel e sagrou-se campeão frente ao sporting. Acabou por chegar à final da taça. Acabou por ganhar a taça... E a última dobradinha, ele que já tinha a guia de marcha assinada...

Vi esse jogo em directo em casa de familiares verduscos, com um primo que era encarnado. Vi um diamante brilhar ao mais alto nível, aquele segundo golo é arte só possível a um predestinado.
Fomos humilhados em Alvalade, tudo bem! Muitos sportinguistas ainda se lembram desse jogo que lhes valeu a vitória nessa batalha. Esquecem-se que quem ganhou a guerra foi o Benfica! Que os Benfiquistas nunca se esqueçam disso: Dobradinha.

A bola de outros tempos, escreveu:
____________________________________________________________________________
1992-1993: Provavelmente a melhor equipa do Benfica dos últimos 25 anos, e não conseguiu ser campeã. Ter a melhor equipa teve as suas consequências e, com o navio a dar a ideia de se estar a afundar, houve ratos que o abandonaram... Para nada.

Futre, Rui Costa, Paneira e João Pinto estavam atrás de Águas. Mozer e Neno ainda foram um pouquito altruístas mas a equipa acabou por dar um banho de futebol.
O primeiro golo é um hino ao futebol de ataque criativo.
Toni já tinha sido campeão, mas os de belém tinham-lhe roubado a taça. Manuel José não teve equipa para Toni.

PS: visitem este link para uma investigação mais detalhada sobre o que foi esta partida.
____________________________________________________________________________
1995-1996: Final parcialmente de má memória, porque um garoto imbecil gostava de coisas fálicas que voassem. E assim se estragou uma tarde de Domingo que estava a ser abrilhantada por João Pinto, Valdo, Preud' Homme e companhia.

O golo do permitido ao sporting pelo actual presidente da arbitragem da fpf não está neste vídeo. Não vale a pena sujar o que foi tão limpo.
___________________________________________________________________________
2003-2004: Era mourinho o braço armado do sistema e tudo parecia levar à frente. O animal central desse outro clube também levou Nuno Gomes à frente e após agressões repetidas que tinham passado sem sanção, foi para o curral para se sujar mais.

Fyssas empatou e Zahovic e Simão deram a volta ao marcador de modo a que o Benfica regressasse aos triunfos.
Vitória de muito sangue, suor e lágrimas que acabou por deixar o marquês a transbordar de Benfiquismo até longas horas da noite.

Para saberem com mais detalhe o que se passou nesta partida, convido-vos a lerem este artigo.
____________________________________________________________________________
2013-2014: Dez anos depois... E a culminar uma época fulgurante, O Benfica conquista a sua vigésima quinta Taça de Portugal frente ao rio-ave.
Uma época de pujança, de crer, concentração, inteligência e de MÍSTICA. Jogadores, técnicos, adeptos e dirigentes juntos a tentar, no máximo das suas forças, remar para o mesmo lado. A coisa foi crescendo e mesmo com uma equipa desgastada... Gaitan marcou...
Sofreu-se, fosse por causa do cansaço, pela vontade do rio-ave ou pela missão de xistra... Sofreu-se. Mas a equipa pode ter abanado mas não caiu. Gigantes com pés de barro acabam sempre por vacilar, gigantes com asas de cera acabam por caír... O Benfica manteve-se firme e voou mais alto sem desvios para o topo da história do futebol Português: Três troféus numa só época.
 ____________________________________________________________________________
Post revisto a 25-05-2013, 19-10-2013, 17-05-2014, 31-05-2014 e a 27-06-2014 (14 Finais), 21-11-2014 (17 finais).

PS: Fotos do Diário de Lisboa retiradas do fórum SerBenfiquista.
E PLURIBUS UNUM

3 comentários:

  1. Vai ser necessariamente um Benfica diferente do habitual, fruto dos muitos problemas físicos que alguns jogadores atravessam, dos jogos de selecções, mas também algumas delas por opção técnica, a tal rotatividade de que Jorge Jesus foi ano após ano acusado de não a fazer, mas que se vê agora criticado pelos mesmos por fazer rotatividade, vamos lá nós entender estas coerência!!!

    ResponderEliminar
  2. A minha primeira recordação da Taça de Portugal remonta á polémica final de 83.Embora na altura tivesse 7 anos lembro-me bem de todo o sururu que esta final deu.Dai para cá acompanhei todas as finais que o Benfica disputou na TV ou no Jamor.Dessas memorias ,destaco pela positiva essa vitoria de 83 no antro(num dos primeiros assaltos do porco azul ao poder do futebol),o banho dado em 85 aos andrades(segundo rezam as cronicas com a equipa feita pelos jogadores),a tranquila vitoria de 86 com o Belenenses,o ajuste com as osgas em 87(soberbo jogo do Diamante),o manual de bem jogar de 93,nova vitoria com os betinhos do Lumiar em 96 e a encavadela em 2004 ao porto do special one.Claro que na parte negativa estão as derrotas com o Belenenses em 89,Boavista em 97,Setubal em 2005 e talvez a mais dificil de digerir com o Guimarães na epoca passada.Mas é sem sombra de duvidas uma prova onde a tradição do Benfica é grande,que o digam os corruptos que jogaram a final contra nós 9 vezes e só ganharam uma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora nem mais Alexandre!

      Na derrota em 97 como boavista, antes de Nuno Gomes se transferir para o Benfica, confesso que fiquei admirado pelo facto de a equipa ter sido capaz de chegar à FINAL!

      Na de 1988-1989 com o Belenenses... Foi demais para mim! Quase que foi uma espécie de cada tiro cada melro para o belenenses: duas vezes lá foram, duas vezes marcaram. Lembro-me que foi um cabo dos trabalhos para o Benfica empatar (Vata pois claro) e depois o juanico de livre directo... Na gaveta... Nessa altura ainda acreditava no futebol e encarei com fair-play.

      Também não me esqueço de ouvir o marinho peres a grita pata o árbitro: "O Diamantino não manda!", uma delícia.

      Em 2005 e na da época passada houve PELO MENOS um ponto em comum: não dava mais no aspecto físico. Os jogadores já estavam de rastos.

      Eliminar

Ok digam o que bem entenderem.
Depois eu vejo