domingo, 28 de julho de 2013

Os Altos e Toscos: Os Louros e o Moreno

Esta é uma história já com mais de trinta anos, uma história que foi apaixonando adeptos e dividindo opiniões ao longo de cada novo episódio.
Michael Manniche (17-07-1959) foi o primeiro capítulo desta saga. Dinamarquês, alto que se fartava (1,92), cabelos louros e uma aparente falta de mobilidade. Parecia fadado para se fixar ali naquele rectângulo e despachar bolas para dentro das balizas adversárias.
O problema é que Michael não era bem estático, o tipo até tinha mobilidade e também tinha uma força e raça enormes para ir para a guerra e devastar as defesas alheias. Esteve quatro épocas ao serviço do Benfica e a sua folha de registo apresenta os seguintes dados:

1983/84 - S.L.Benfica - 32 Jogos / 18 Golos 2465 minutos
1984/85 - S.L.Benfica - 36 Jogos / 27 Golos 3225 minutos
1985/86 - S.L.Benfica - 40 Jogos / 21 Golos 3502 minutos
1986/87 - S.L.Benfica - 24 Jogos / 15 Golos 1438 minutos
No Benfica, fez quatro Épocas, 102 Jogos (cerca de 10630 Minutos), 81 Golos (0.80/J)... Tosco! Talvez fosse. Privou com Nené, Filipovic, Jorge Silva, Rui Águas o que não foi fácil para nenhum dos cinco tal a qualidade da matéria prima. Foi treinado por Eriksson, Csernai e Mortimore.

Apesar de ter ganho campeonatos e taças (uma delas com contributo decisivo da sua parte), nunca foi o melhor marcador do campeonato se bem que marcava a todos sem excepção. Era jogador de equipa na sua plenitude.

Depois veio outro tipo louro. Também era alto (1.85) e chamava-se Mats Magnusson. Demorou quase duas épocas a desbobinar o seu talento. Louros e toscos eram assunto para Eriksson que os sabia esculpir.

Não era jogador de marcar golos em grandes jogos, dizia-se que se tornava um pouco mole contra grandes defesas. Mas dava a cara à luta nos jogos. Formou uma das melhores duplas de atacantes do Benfica com Rui Águas, o sueco recebia as bolas dos cruzamentos e assistia o português para a finalização.

Infelizmente só teve o seu auge durante uma época, uma vez que foi convocado para representar a selecção sueca  no mundial de 1990; onde acabou por se lesionar com gravidade.
Nunca foi mais aquele Magnusson que desbobinou quarenta e quatro golos em quarenta jogos (numa só época = 1.1 golos/jogo)...

Fica o registo dele:
1987/1988 - S.L.Benfica - 37 Jogos / 16 Golos 3070 minutos
1988/1989 - S.L.Benfica - 36 Jogos / 12 Golos 2992 minutos
1989/1990 - S.L.Benfica - 44 Jogos / 40 Golos 3960 minutos
1990/1991 - S.L.Benfica - 17 Jogos / 08 Golos  940 minutos
1991/1992 - S.L.Benfica - 29 Jogos / 11 Golos 2295 minutos

No Benfica, fez quatro Épocas, 163 Jogos (cerca de 13257 Minutos), 87 Golos (0.53/J). Privou com Rui Águas, Vata, César Brito, Lima, Isaías e Yuran o que deu muita coisa a ganhar ao Benfica, Foi treinado por Skovdhal, Toni e Eriksson. Nunca esqueceu o Benfica mesmo passados mais de vinte anos. Os Benfiquistas mais informados certamente que se irão lembrar de muitas coisas boas que ele fez ao serviço do clube.

Depois vieram avançados do brasil, da argentina, da Rússia, de marrocos, um batata frita da suecia (acho que era central), um espanhol com nome parecido com o de um banco, um holandês que até era muito bom mas só aqueceu o lugar por uma época, um inglês que também era muito bom mas que teve de ser vendido para pagar iates e um lituano para quem o Benfica era uma religião... Ou não! Também da hungria (rip), dois da croácia (o primeiro a vir tornou-se num grande avançado), do méxico e por aí que não me quero chatear mais. Esperem! também tivemos o João Tomás que... Poderia ter...
Avançados que por uma razão (falta de qualidade assustadora) ou por outra (falta de tempo/estabilidade) não fizeram história no Benfica.

João Pinto, Nuno Gomes, Miccoli e Mantorras são nomes que ficam para a posterioridade pelo seu trabalho no clube, mas que não eram bem avançados. Não tinham aquela estatura mas tiveram de lá andar bem na frente a dar o corpo ao manifesto. Todos encantaram plateias, todos deixaram saudades... Cada um à sua maneira.
E eis que após uma travessia muito longa com toscos e palitos, muita borracha e poucos rins... Chega um grande tosco ao Benfica. Com 1.93m e 24 anos, Óscar René Cardozo Marín chegava ao Benfica.
O gajo era mesmo alto. Era mesmo tosco. Tinha uma autêntica arma nuclear num dos pés (esquerdo)... Tal como Mats e Michael. Muitos terão ficado na dúvida porque não era louro, mas desejaram de forma ardente que tivesse chegado ao fim a travessia do deserto...

2007/2008 - S.L.Benfica - 45 Jogos / 22 Golos 3248 minutos
2008/2009 - S.L.Benfica - 35 Jogos / 17 Golos 2414 minutos
2009/2010 - S.L.Benfica - 47 Jogos / 38 Golos 3740 minutos
2010/2011 - S.L.Benfica - 42 Jogos / 23 Golos 3490 minutos
2011/2012 - S.L.Benfica - 45 Jogos / 28 Golos 3461 minutos
2012/2013 - S.L.Benfica - 47 Jogos / 33 Golos 3052 minutos

No Benfica fez, até hoje, seis Épocas, 261 Jogos (cerca de 19405 Minutos - cerca de 324 horas com o manto sagrado), 161 Golos (0.62/Jogo - 26.8/Época). Deixou-me a roer unhas, a arrancar cabelos, em desespero, com os nervos em franja, a vomitar asneiras atrás de asneiras de todos os tipos e feitios... Enfim! Não poucas vezes me senti tal e qual o reactor de chernobyl antes de... Mas...
Fez muitas coisas destas... E acabou por fazer uma coisita que há muito tempo eu quero fazer: Apontar o dedo ao JJ e dizer-lhe que: sabes muita coisa mas aquilo que não sabes é o suficiente para o Benfica nada ganhar. Não me lembro da última vez que me senti assim a ver algo a acontecer. Eu queria que ele... mas ele não deveria... Fónix!

E agora temos/tivemos, aparentemente, de o despachar porque o treinador sabe mais que o presidente... sabe mais que qualquer que seja a estrutura do futebol do Benfica... Mais reticências... E mais...

Reticências 4ever...

Compreende-se que um empregado numa estrutura hierárquica deve obedecer a normas contratualizadas, a normas de conduta e ter bom senso. Quando esta linha é quebrada deve sofrer sanções. Mas que JJ merecia uma reprimenda...

Como tudo na vida, por vezes só sabemos o que temos quando lhe sentimos a falta... Qual vai ser a falta que Óscar nos vai fazer se acabar por sair? É que a frustração de perder tudo demonstrou, aparentemente, o Benfiquismo do Paraguaio. Seis anos é muito tempo no futebol dos dias de hoje, e começar tudo de novo nunca é fácil para um clube que luta contra muita coisa para tentar ser campeão.

No entanto parece impossível, e eu bem entendo, construir uma base de entendimento entre o jogador (que sempre demonstrou vontade de continuar) e o treinador. Independentemente de quem são, o equilíbrio emocional seria/será sempre ténue e difícil de remendar a partir daquele momento. Para além disso, há que contar com os adeptos que são uma parte que está fora desta equação mas que a iriam invadir de forma avassaladora e... Lidar com os milhões que apoiam o Benfica por causa de duas pessoas...

Agora é esperar que haja dinheiro, mas ir para a turquia! É uma brutal despromoção que nem o dinheiro disfarça. Queria ver o JJ a ir treinar para um futebol que é o armazém de destroços e prateleira de wannabes...

Avante Benfica, que este ano vai ser mais do mesmo. Qualquer que seja o resultado final desta novela, obrigado Óscar. É que as unhas voltam sempre a crescer, o cabelo também, os nervos acabam por acalmar e as asneiras proferidas acabam por cair no esquecimento... Mas há cidades que se tornam fantasmas da noite para o dia! Quase vinte e sete golos por época...

Muito agradecido de igual modo a Manniche e a Magnusson

E Pluribus UNUM

4 comentários:

  1. gostei da referência ao Pringle...
    sobre o "tacuara", também gostava de aplicar uma boa palmada ao jj, e este ano cheira-me a descalabro e rescisão milionária esta última fedorenta, espero estar enganado para o bem do glorioso.
    vito g.

    ResponderEliminar
  2. Tres jogadores marcantes da história mais recente do Benfica.Começando por Manniche,chegou á Luz no inicio de 83-84,juntando-se a Néné,Filipovic e Diamantino como opções para o ataque.Era um autentico carro de assalto no meio do virtuosismo dos outros avançados.Para além de jogar muito bem de cabeça,era muito importante pelos inúmeros espaços que criava e pela capacidade de choque que possuía.Na altura da sua vinda muitos gozaram com a opção que Eriksson tinha feito, incluindo Pedroto que apelidou Manniche de alto,louro e tosco,mas depois tiveram que meter a viola no saco,pois contra o porto o dinamarquês apontou 5 golos durante a sua passagem pelo Benfica.Posteriormente e para o lugar de Manniche veio Magnusson,que era mais dotado tecnicamente,fazendo na primeira temporada uma bela dupla com Rui Águas e conquistando depois uma Bola de prata em 89-90.Lembro-me ainda que em 90-91,jogando apenas a segunda volta ainda foi muito útil em jogos onde as coisas estavam complicadas.Foi dos melhores avançados a quem vi fazer remates em rotação.Tenho enorme simpatia pelo grande Mats,pois para mim é um dos estrangeiros que mais afinidade criou com o Benfica.Finalmente do Tacuara só digo isto, muitos benfiquistas só lhe daram o devido valor quando ele sair,aliás um pouco ao jeito do que se passou com o Isaias.De entre os avançados calmeirões que tivemos gostava também de destacar Brian Deane e Pierre Van Hooijdonk.

    ResponderEliminar
  3. O Deane e o Hooijdonk foram excelentes contratações. Mas vieram numa altura em que o cerco ao Benfica era muito cerrado e o clube (JVA) tinha de fazer dinheiro.

    Deane ainda o vi jogar ao vivo, e era muito bom. Era astuto e possante. Hooijdonk era mais esguio mas com as qualidade de avançado todas. O Holandês até formou uma dupla interessante com João Tomás mas o dinheiro escasseava e...

    Essa analogia do Tacuara com Isaías... Compreendo. Mas assim que começou a época de 1994/1995, senti logo que iria ter saudades de muita gente. A contratação do nelo e do tavares...

    ResponderEliminar
  4. Essa época de 94-95 marcou para mim o inicio da fase negra pela qual passámos.No entanto penso que nessa temporada ainda trouxemos muito bons jogadores,casos do milagreiro Preud´Homme,Dimas,Paulo Bento,Edilson,Stanic ou Caniggia.Só que a partir de determinada altura tornou-se evidente que o poeta infiltrado queria fazer no Benfica aquilo que fizera anos antes no porto,onde despachou quase toda a equipa que tinha sido campeã europeia,substituindo-os por marretas que abundavam no futebol português,casos de Caetano,Kiki,Pingo,Nascimento ou Marito.Só que nessa altura tambem tinha as ajudas do Rosa Santos,Francisco Silva,Fortunato Azevedo e muitos outros a quem o sinistro do Lourenço Pinto tambem devia fazer uma homenagem como aquelas que a associação de futebol do porto faz,ou então convida-los a ir comer á marisqueira de Matosinhos.Todos nós pressentimos durante a temporada de 94-95 que o grande objectivo do poeta era destruir o Benfica,o que aliás é nojento,já que foi no nosso clube que ganhou fama como um dos grandes avançados do futebol português.Ainda hoje fico a pensar naquilo que poderia ter sido uma dupla Mantorras-Van Hooijdonk se o holandês tem permanecido no Benfica.

    ResponderEliminar

Ok digam o que bem entenderem.
Depois eu vejo